quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal e um 2011 cheio de realizações


Mais um ano chega ao seu fim.
Agora é época de reencontros, e de saudades.
Saudades daqueles que nos deixaram.
Saudades de quem nós deixamos.
Saudades daqueles que se foram para sempre.
Mas também época de lembrar dos reencontros deste ano.
Das novas amizades.
Novos amores.
E das realizações que conquistamos e as que ainda estão por vir.
Época em que, devemos parar e pensar no verdadeiro sentido do Natal.
E agradecermos por tudo que passamos neste ano, seja de bom ou ruim.
Pois o que aconteceu de bom nos encanta, e o de ruim nos ensina.
Que o espírito de Natal tome conta de nossos sentimentos, para que eles levem ternura a todos que fazem parte da nossa vida!
Que possamos lembrar da velha sabedoria de que felicidade não está nas coisas, nos sucessos sociais, nem financeiros. Mas que ela está dentro de nós!

Feliz Natal e um próspero ano de 2011!

Feleicidades...

Deus seja Louvado!

Pe. Luiz Targino

sábado, 4 de dezembro de 2010

Preparai o caminho do Senhor!


Meus irmãos, é esta a palavra do Senhor para todos nós no dia de hoje, sem exceção: Preparai o caminho do Senhor, porque a vinda d’Ele está próxima, a segunda vinda gloriosa.

Às autoridades, escolhidas pelo Senhor para governar o povo, eu digo-lhes: Preparai caminho do Senhor para que o Brasil volte a ser a 'Terra de Santa Cruz'!

A você, pai ou mãe, que constituiu sua família, colaborando com a criação de Deus, também lhe digo: Preparai o caminho do Senhor dentro do seu coração, no coração dos seus filhos e dentro de toda sua família. A principal arma para isso é sua própria paternidade ou maternidade. Nem sempre você consegue ser 100% como quereria, como Deus o quer, mas o Senhor não desanimou e não desistiu de você nem de sua família.

O Rei se aproxima cada vez mais e nós ouvimos essa voz “Preparai o caminho do Senhor”. Ele virá para instaurar céus novos e uma terra nova. E cada um daqueles sobre os quais você tem responsabilidade precisa estar nesse Reino. Há um lugar que é só seu na humanidade nova. E é por isso que todos nós precisamos nos irmanar.

Para preparar a primeira vinda de Jesus, Deus Pai enviou muitos profetas e apóstolos, dentre os quais: São João Batista. E, agora, para preparar a segunda, o Senhor está enviando um povo de profetas. Ele quer que façamos tudo isso com muita alegria. Muitos católicos, ao ouvirem falar da segunda vinda de Jesus, se aterrorizam, mas São Lucas diz: "Quando virdes essas coisas acontecerem, levantai a vossa cabeça a alegrai-vos, pois a vossa libertação se aproxima"(Lc 21,28).

O livro dos Tessalonicenses (1Ts 5,16-24) já fala da segunda vinda do Senhor. Nele está escrito, para nós, hoje: "Estai sempre alegres!" (id.ib.16) E afirma também: "Afastai-vos de toda espécie de maldade!” (id.ib.22)

“Que o Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma, corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo! Fiel é aquele que vos chama, e o cumprirá” (I Tes 5, 23-24).

Ele nos chamou para essa humanidade nova. Você foi chamado, você é um eleito, um escolhido. “Fiel é aquele que vos chama, e o cumprirá”.

Preparai o caminho do Senhor povo de Deus!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Jovens em Missão


Assim como prevê o Plano de Ação Evangelizadora definido pela Arquidiocese, temos as prioridades a serem trabalhadas pela igreja. Dentre elas encontramos a juventude que é compreendida como Fonte de renovação da sociedade. Desta forma percebemos que é necessário abrir espaços para acolher os jovens, assim como eles são, respeitando sua cultura, linguagem, desejos e anseios.
Pensando nisto o Setor Juventude de nossa Paróquia com auxílio de nossos Padres e da Paróquia Nossa Senhora da Liberdade, realizaram o projeto “ Missão Jovem”, seguindo o modelo do Bom Samaritano, saindo às ruas encontrando aqueles excluídos e afastados do amor de Deus e evangelizando.
A Missão Jovem teve inicio no dia 11 de Novembro, os adolescentes e jovens saíram às ruas, lan house, academias, praças buscando resgatar aqueles que por um motivo ou outro não participam da vida em comunidade. Nossos evangelizadores atuaram como agentes transformadores e foram estimulados a desenvolver seu espírito missionário, levando outros jovens a um encontro pessoal com Jesus Cristo.
O Tríduo da Missão Jovem teve seu encerramento com a missa realizada no sábado dia 13 as 21h30, na igreja matriz. Esta Santa Missa contou com a participação dos evangelizadores e muitos jovens resgatados pela missão, jovens estes que em seus testemunhos relataram sentir-se acolhidos novamente pela igreja e puderam voltar a experimentar o amor de Deus, aquele Pai que aguarda de braços abertos pela volta de seu filho amado.
Assim como diz o Papa Bento XVI em sua carta aos Jovens, precisamos de santos que usem calças jeans, que vão aos cinemas e saibam o quanto Deus os ama, assim conseguiremos evangelizar mais e mais jovens, além é claro de motivar os evangelizadores a seguirem sua caminhada da igreja e serem instrumentos de Jesus Cristo.
Contudo, fica o agradecimento a todos envolvidos, jovens, adolescentes, coordenações, em especial ao Pe. Luiz Carlos F. Targino que com amor e dedicação acolheu os jovens nesta missão. E fica o convite a um novo desafio, realizar mais missas jovens, acatando ao pedido de muitos que se sentiram acolhidos e amados dentro da casa do Pai, e mesmo que a cruz pesada for Cristo sempre estará conosco, pois como já deixou escrito “amai-vos uns aos outros como eu vos amo. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos. Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando. Já não vos chamo de servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai”.(Jo 15, 12-15). Então amigos continuemos em missão.

Talita Caparróz
Coordenadora grupo São Domingos Sávio

terça-feira, 16 de novembro de 2010

No sofrimento, onde está o amor?


Muito me pergunto qual a verdadeira relação entre sofrimento e amor? Já ouvi dizer que o sofrimento é característica dos verdadeiros amantes, mas, ao mesmo tempo, no cotidiano percebemos que, muitas vezes, os sofrimentos que trazemos nos afastam de sentimentos e ações ligados ao amor. Existe alguma ligação entre essas duas realidades ou são completamente antagônicas?
Na maioria das ocasiões em que pensamos sobre o assunto [sofrimento], vêm à nossa mente emoções e sensações ligadas à dor, a frustrações ou à ausência de prazer. Com isso, somos propensos a pensar que o sofrimento não tem ligação com o amor. Exatamente porque, quando experimentamos alguma situação de dor, talvez não consigamos identificar nela a realidade do amor. Mas fazendo uma leitura cristã – e aqui eu apoio-me em uma reflexão de Bento XVI – o sofrimento se torna um trampolim, um degrau, uma característica de quem realmente ama.
Assim diz o Santo Padre em uma das suas alocuções: “Não há amor sem sofrimento, sem o sofrimento da renúncia a si mesmo, da transformação e purificação do eu para a verdadeira liberdade. Onde não houver algo pelo qual valha a pena sofrer, também a própria vida perde o seu valor”. A partir dessa reflexão, podemos compreender que o sofrimento toma uma conotação positiva, exatamente porque ele é carregado de sentido. Dessa maneira, ele faz-nos perceber que determinada situação ou pessoa é carregada de significado para nós. Ao passo que identificamos que realmente existe o amor, temos a oportunidade de assumir as consequências dessa atitude de amar mesmo que ela traga, em determinado momento, o desafio do sofrer.
Mas esse sofrer que refletimos e que Bento XVI nos aponta, não é um sofrer passivo, pelo contrário, é um sofrer ativo. Não ficamos parados, inertes em nosso dia a dia esperando o sofrimento. É o movimento completamente diferente, a partir do momento em que caminhamos em direção a determinado objetivo, motivados pelo amor, deixamo-nos purificar pelos sofrimentos que a própria vida nos apresenta. Lembre-se: todos sofremos! Agora, depende somente de você a resposta a esse sofrimento; tenha coragem, não fuja. Esse degrau é importantíssimo para a sua felicidade. Lembre-se: sofrimentos podem se tornar degraus para o nosso crescimento.
Ao olharmos para o exemplo do Cristo percebemos que o suplício da Cruz e toda a sua humilhação só valeram a pena, só tiveram sentido porque no coração d'Ele o motor, a motivação era o amor, amor ao Pai, à Sua Vontade, amor àqueles a quem Ele foi enviado. No momento da suprema agonia podemos entender melhor essa relação entre sofrimento e amor. Jesus Cristo sofrera tanto que os Seus sentidos se fecharam em um movimento de autodefesa. Em uma súplica ao Pai, Nosso Senhor levanta a possibilidade de desistir. Mas nem de longe isso foi algo negativo, antes é uma revelação de como o sofrimento pode fechar-nos em nós mesmos, por causa do medo, algo próprio do ser humano. Apesar disso, o Senhor foi além. Aceitando a crucifixão como consequência de Sua missão, Ele ensina-nos que o coração do homem é capaz de responder de maneira responsável e consciente diante de qualquer tragédia. Cristo acolheu o Seu martírio tendo a convicção de que o mesmo amor que O levava a abraçar a morte Lhe traria novamente a Vida.
Na agonia e no mistério da Cruz conseguimos tocar no amor que dá sentido à nossa dor, à nossa agonia. Cristo Jesus amou-nos tanto que Ele passou amar a Sua Cruz, Sua Paixão.
Diante da afirmação de Bento XVI, posso perguntar a você: Deparando-se com a sua realidade hoje, pelo que vale a pena sofrer? Pelo que vale a pena encarar a dor, na esperançosa certeza de que por causa do AMOR vale a pena passar por isso?
Na certeza de que o Amor nunca decepciona e que ele é o grande sentido para as nossas vidas e nossas vocações, assumamos as consequências de amar, sabendo que, quando o sofrimento chegar, temos a oportunidade de responder de maneira positiva, usando dele (sofrimento) para sermos melhores e ajudarmos os outros a também serem, à imagem do Bom Pastor.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Dizer não é também amar


Amar não é e nunca será tarefa fácil, exige de nós empenho e decisão. O amor sincero comporta o sofrimento e a doação em favor do outro. Pelo bem do outro, inúmeras vezes, enfrentamos dificuldades que nos causam dor e pesar.
Existem situações nas quais temos de desagradar a quem amamos em virtude de seu próprio bem. Tais decisões são difíceis e doem mais em nós do que naqueles que são objetos de nossa repreensão. Porém, é importante salientar que corresponder sempre e irrefletidamente aos desejos de quem se ama pode se tornar algo negativo, que tende a deformar e não formar. Dentro dessa perspectiva, afirmo que: “Dizer ‘não’ também é uma forma de amar”.
Limites são necessários para qualquer ser humano, pois, por meio deles, alcançamos equilíbrio e maturidade. Pais que não impõem limites aos filhos acabam criando pequenos reis e rainhas e, conseqüentemente, tornando-se seus súditos.
Somente quem já recebeu um “não” na vida consegue compreender a especificidade da palavra humildade. Somente aqueles que não foram correspondidos no que queriam, em algum momento de sua história, sabem compreender que sua vontade não é absoluta e que nem sempre estão certos.
É no “não” e no “sim”, no equilíbrio das possibilidades, que se forma uma pessoa, é assim que o orgulho se ausenta e o ser humano consegue entender que os outros também são bons.
Nem tudo o que queremos é o melhor para nós, porém, nem sempre conseguimos enxergar assim. É aí que descobrimos quem nos ama, pois os que sinceramente se interessam por nós não têm medo de nos dizer a verdade e de nos corrigir quando necessário.
Não é fácil corrigir e dizer 'não'; seria mais fácil e conveniente dizer sempre 'sim' e estar sempre sorrindo, pois quem diz 'não' se expõe e, muitas vezes, atrai sobre si a ira do outro. Quem corrige, mesmo querendo o bem do outro, corre o risco de ser mal interpretado, contudo, demonstra um grande amor e cuidado com o outro.
Só quem nos ama nos diz 'não'. Só quem se interessa por nós tem a sensibilidade de cuidar de nós, através da poda.
Precisamos ter sensibilidade para detectar e aceitar o amor que se manifesta em uma multiplicidade de formas e que nos encontra também naquilo que tanto nos desagrada.
Se enxergarmos assim, sentiremo-nos mais amados e cuidados, evitaremos muitas contrariedades, além de descobrirmos belezas antes não contempladas. Faça essa experiência!

sábado, 16 de outubro de 2010

Carta Pe. Silvio Andrei‏


"A satisfação está no esforço, não apenas no resultado final!"

Olá, a paz de Jesus e o amor de Maria! Espero que essa carta seja lida para o máximo de pessoas possíveis; pois o padre Silvio Andrei me autorizou a enviá-la, na certeza de que eu, e você, sejamos como "um eco" de suas palavras. Com carinho: Vânia Cristina (locutora da Rádio Alvorada - AM 970 - de Londrina)


TRÊS PALAVRAS!
"Orai e vigiai sem cessar"! (1 Ts 5,17)
Depois de um tempo de silêncio e reflexão, sinto o desejo e a necessidade de me comunicar com tantas e tantas pessoas que tomaram conhecimento do triste acontecimento que se deu na minha vida nos últimos tempos. Uma vez li e nunca mais me esqueci da seguinte frase: "Nunca se justifique. Para os amigos, não precisa. Para os inimigos, não adianta". Sendo assim, não tenho nenhuma intenção de me justificar, nem de me defender, pois meu advogado, o Dr. Walter Bittar é a pessoa a quem eu confiei essas funções. Contudo, quero dialogar para esclarecer. Me dirijo respeitosamente a todos através de três palavras.

1 - OBRIGADO. Apesar de todo sofrimento que ainda passo e que provoquei à vida de tantas pessoas, quero, do fundo do meu coração, agradecer as muitíssimas manifestações de amizade, carinho, apoio e presença fraterna na minha vida e na vida da minha família, da Paróquia Rainha dos Apóstolos da Vila Monumento de São Paulo, da Comunidade Palotina e da Igreja, sobretudo da Igreja de Londrina, numa hora de grande tribulação, tempestade, vergonha, medo, tristeza, angústia e arrependimento. Aos Bispos, Padres, Religiosos, Leigos e irmãos até mesmo de outras denominações religiosas que expressaram solidariedade por palavras, gestos e atitudes. À todos, muito obrigado!

2 - PERDÃO. Sei que desapontei, decepcionei e machuquei a muitos. Por isso, venho, pedir perdão a todos que de um modo ou de outro, foram atingidos em consequência da minha imprudência e deste acidente de percurso que sofri na minha vida. Por muitas vezes, me lembrei daquela passagem que diz: "Quem está de pé cuide-se para não cair" (1Cor 10,12). Não cuidei, como deveria ter cuidado. Porém, acredito, que por maior que seja a queda, pela graça de Deus, pelo apoio dos amigos e pelo esforço pessoal, todos podemos nos levantar delas e continuar caminhando com passos firmes e seguros. Com sinceridade, a todos peço perdão!

3 - ORAÇÃO. Partilho que tenho rezado muito. E continuarei rezando para que Deus faça algo de muito bom, na vida de todos, depois da travessia deste "Mar Vermelho". Renovo aqui as minhas orações por todos: pelos que perdoaram ou não; pelos que compreenderam ou não; pelos que criticaram ou não; pelos que fizeram piadas ou não; pelos que riram ou não; pelos que choraram ou não; pelos que sofreram ou não; pelos que sentiram ou não. Renovo o meu compromisso de rezar por todos, sobretudo nesta noite escura pela qual estou atravessando. Me lembro das palavras de Jesus: “Eu, porém, vos digo a vós que me escutais: Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam, bendizei os que vos amaldiçoam, orai pelos que vos difamam. A quem te ferir numa face, oferece a outra; a quem te arrebatar a capa, não recuses a túnica. Dá a quem te pedir e não reclames de quem tomar o que é teu. Como quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Se amais os que vos amam, que graça alcançais? Pois até os pecadores amam aqueles que os amam(...). Muito pelo contrário, amai os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai sem esperar coisa alguma em troca. Será grande a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo, pois Ele é bom para com os ingratos e maus. Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, para não serdes julgados; não condeneis, para não serdes condenados; perdoai, e vos será perdoado. Dai, e vos será dado; será derramada no vosso regaço uma boa medida, calcada, sacudida, transbordante, pois com a medida com que medirdes, sereis medidos também” (Lc 6,27-38). Rezo na certeza de que nenhuma noite escura dura para sempre. Rezo na certeza de que Deus transforma o nosso pranto em consolo. Rezo na certeza de que Deus transforma nossas maiores quedas em verdadeiras lições de vida, prá gente viver melhor e servir mais. Rezemos uns pelos outros. A oração nos faz humildes e fortes. A oração ilumina a nossa vida! Tenho consciência da minha pequenez, da minha miséria. Mas, mesmo assim, continuarei rezando para que Deus dê vida em abundância para todos!
Deus abençoe e proteja a todos nós! Amém!
A Jesus e Maria consagro as nossas famílias!!!

Pe. Silvio Andrei, SAC.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A esperança é o combustível da vida


A esperança corresponde à aspiração de felicidade existente no coração de cada pessoa. Interessante observar que quem perde a esperança mais profunda perde o sentido de sua vida; sem esperança viver não tem sentido. O próprio antônimo dessa palavra é DESESPERO, ou melhor, a perda quase que em estado definitivo da esperança. E este [desespero] é capaz de corroer o coração.

A esperança é a vacina contra o desânimo e contra a possibilidade de invasão do egoísmo, porque apoiados nela nos dedicamos à construção de um mundo melhor. A perda da esperança endurece nossos sentimentos, enfraquece nossos relacionamentos, deixa a vida cinza, faz a vida perder parte do seu sabor. Porém, todos os dias somos atingidos por inúmeras situações que podem nos desesperar.

A esperança é o combustível da vida, a forma de mantê-la viva é não prender os olhos nas tragédias, pois a cada desgraça que contemplamos corremos o risco de perdê-lo [combustível]. Existe na mitologia grega a presença de uma figura interessante: uma ave chamada fênix, que quando morria entrava em autocombustão e passado algum tempo renascia das próprias cinzas. A fênix, o mais belo de todos os animais fabulosos, simbolizava a esperança e a continuidade da vida após a morte. Revestida de penas vermelhas e douradas, as cores do sol nascente, possuía uma voz melodiosa que se tornava triste quando a morte se aproximava.

A impressão causada em outros animais por sua beleza e tristeza chegava a lhes provocar a morte. Nossa vida passa por este processo várias vezes num único dia, ou seja, sair das tragédias para contemplar a beleza que não morreu, a vida que existe ainda, como fazia essa ave mitológica. Alguns historiadores dizem que o que traria a fênix de volta à vida seria somente o seu desejo de continuar viva, depois de completar quinhentos anos elas perdiam o desejo de viver e aí se morressem não mais reviviam. O desejo de continuar a viver era sua paixão pela beleza, que é a vida.
Vida sem sabor é uma vida sem perspectivas; quem cansou de tentar, cansou de lutar e desistiu de tudo, uma vida que apenas espera o seu fim, por pensar que nada que se faça pode mudar coisa alguma. Quem perdeu a capacidade de sonhar, o desejo de felicidade confundiu-se com a utopia. Felizmente não existe motivo para desanimar, lembrando as palavras de São Paulo: “A esperança não decepciona” (Rm 5,5). Não falamos aqui de qualquer esperança, mas da autêntica esperança, que não se apóia em ilusões, em falsas promessas, que não segue uma ilusão popular em que tudo se explica.

A esperança verdadeira, vinda de Deus, é uma atitude muito realista, que não tem medo de dar às situações seu verdadeiro nome e tem sempre Deus como fator principal. Não tem medo de rever as próprias posições e mudar o que deve ser mudado.
À medida que perdermos ilusões e incompreensões temos o espaço real no qual pode crescer a esperança, que nada mais é do que a certeza de que tudo pode ser melhor do que o que já vemos. E o desejo de caminhar na direção da vida, atraídos pela sua beleza que no momento pode somente ser sonhada, mas é contemplada pelo coração.
O homem pode ser resistente às palavras, forte nas argumentações, mas não sobrevive sem esperança. Ninguém vive se não espera por algo bom, que seja bem melhor do que o que já conhece, já possui ou já experimentou. Deus alimenta nossa vida por meio da esperança!

domingo, 3 de outubro de 2010

A arte de reconciliar-se com os próprios limites



A limitação é uma realidade profundamente inerente ao humano. Ser gente significa ser essencialmente limitado e marcado pela fragilidade.
Não existem super-homens – por mais que a sociedade e as circunstâncias atuais façam com que muitos acreditem sê-lo –, toda pessoa humana é marcada por algum tipo de imperfeição, com a qual, em algum momento de sua história, terá que se encontrar.

Ninguém é bom em tudo, ninguém consegue ser perfeito em todas as dimensões de sua vida: há quem seja bom no trabalho, mas falho nos estudos; assim como há aqueles que são perfeitos em casa como pais e esposos, mas nunca conseguem ascensão profissional; ainda existem aqueles que são ótimos nos esportes e péssimos na dimensão relacional/afetiva; da mesma forma, há os que possuem muitos amigos, mas não conseguem se firmar em um namoro ou relacionamento sério; e assim por diante. Todos portamos algum tipo de imperfeição e limite, com os quais teremos de aprender a “dialogar” em nossa trajetória pela vida.

A verdadeira virtude consiste em saber, de fato, dialogar com os próprios limites, reconciliando-se constantemente com eles e buscando realmente integrá-los àquilo que somos, visto que somos um “acontecimento” composto por virtude e fraqueza.
A maturidade só será concebida no coração que soube relacionar seus prós e contras, suas virtudes e limites, integrando-os ao que se é (com consciência da própria verdade) e buscando assim potencializar as virtudes e trabalhar as fraquezas.

O autoconhecimento é essencial em todo processo de crescimento e maturação enquanto gente, e principalmente, o conhecimento dos próprios limites. Do contrário, a pessoa será eternamente escrava de uma ilusão desencarnada acerca de si, não podendo crescer e experienciar a alegria e a liberdade que brotam do fato de reconciliar-se com os próprios limites.

Há limites que poderemos vencer, contudo, há aqueles com quais teremos que aprender a conviver… Quem não aceita os próprios limites acabará empregando – inutilmente – uma imensa energia no combate a um inimigo fictício, gerando assim um conflito interior desnecessário, pelo fato de combater uma realidade que deveria, em vez de negada, ser agregada ao todo que o compõe.
O limite é algo natural e até mesmo pedagógico no processo humano: negá-lo seria negar a própria humanidade e dependência do Eterno.

Reconciliar-se com os próprios limites: eis um passo de sabedoria que nos faz mais completos e encontrados em nossa verdade. Tenhamos a coragem de assurmir tal postura e atitude, e contemplemos os belíssimos frutos que procederão de semelhante prática e compreensão.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Por que existe o sofrimento?



O sofrimento faz parte da vida do homem, contudo, este se debate diante disso. E o que mais o faz sofrer é sofrer inutilmente, sem sentido.
Saber sofrer é saber viver. Os que sofrem fazem os outros sofrer também. Por outro lado, os que aprendem a sofrer podem ver um sentido tão grande no sofrimento que podem até amá-lo.

No entanto, só Jesus Cristo pode nos fazer compreender o significado do sofrimento. Ninguém sofreu como Ele e ninguém como Ele soube enfrentá-lo [sofrimento] e dar-lhe um sentido transcendente. Ninguém o enfrentou com tanta audácia e coragem como Ele.
Há uma distância infinita entre o Calvário de Jesus Cristo e o nosso; ninguém sofreu tanto e tão injustamente como Ele. Por isso, Ele é o “Senhor do Sofrimento”, como disse Isaías, “o Homem das Dores”.

Só a fé cristã pode ajudar o homem a entender o padecimento e a se livrar do desespero diante dele.
Muitos filósofos sem fé fizeram muitos sofrer. Marcuse levou muitos jovens ao suicídio. Da mesma forma, Schopenhauer, recalcado e vítima trágica das decepções, levou o pessimismo e a tristeza a muitos. Zenão, pai dos estóicos, ensinava diante do sofrimento apenas uma atitude de resignação mórbida, que, na verdade, é muito mais um complexo de inferioridade. O mesmo fez Epícuro, que estimulava uma fantasia prejudicial e vazia, sem senso prático. Da mesma forma, o fazia Sêneca. E Jean Paul Sartre olhava a vida como uma agonia incoerente vivida de modo estúpido entre dois nadas: começo e fim; tragicomédia sem sentido à espera do nada definitivo.

Os materialistas e ateus não entendem o sofrimento e não sabem sofrer; pois, para eles o sofrer é uma tragédia sem sentido. Os seus livros levaram o desespero e o desânimo a muitos. O “Werther”, de Goethe, induziu dezenas de jovens ao suicídio. “A Comédia Humana”, de Balzac, levou muitos a trágicas condenações. Depois de ler “A Nova Heloísa”, de Rosseau, uma jovem estourou os miolos numa praça de Genebra. Vários jovens também se suicidaram, em Moscou, depois de ler “Os sete que se enforcaram”, de Leonid Andreiv.

Um dia Karl Wuysman, escritor francês, entre o revólver e o crucifixo, escolheu o crucifixo. Para muitos esta é a alternativa que resta.
Esses filósofos, sem fé, levaram muitos à intoxicação psicológica, ao desespero e à depressão, por não conseguirem entender o sofrimento à luz da fé.
Quem nos ensinará sobre o sofrimento? Somente Nosso Senhor Jesus Cristo e aqueles que viveram a Sua doutrina. Nenhum deles disse um dia: “O Senhor me enganou!” Não. Ao contrário, nos lábios e na vida de Cristo encontraram força, ânimo e alegria para enfrentar o sofrimento, a dor e a morte.

Alguns perguntam: se Deus existe, então, como Ele pode permitir tanta desgraça, especialmente com pessoas inocentes?
Será que o Todo-poderoso não pode ou não quer intervir em nossa vida ou será que não ama os Seus filhos? Cada religião dá uma interpretação diferente para essa questão. A Igreja, com base na Revelação escrita e transmitida pela Sagrada Escritura, nos ensina com segurança. A resposta católica para o problema do sofrimento foi dada de maneira clara por Santo Agostinho († 430) e por São Tomás de Aquino († 1274): "A existência do mal não se deve à falta de poder ou de bondade em Deus; ao contrário, Ele só permite o mal porque é suficientemente poderoso e bom para tirar do próprio mal o bem" (Enchiridion, c. 11; ver Suma Teológica l qu, 22, art. 2, ad 2).

Como entender isso?
Deus, sendo por definição o Ser Perfeitíssimo, não pode ser causa do mal, logo, esta é a própria criatura que pode falhar, já que não é perfeita como o seu Criador. Deus não poderia ter feito uma criatura ser perfeita, infalível, senão seria outro deus.
Na verdade, o mal não existe, ensina a filosofia; ele é a carência do bem. Por exemplo, a doença é a carência do estado de saúde; a ignorância é a carência do saber, e assim por diante.

Por outro lado, o mal pode ser também o uso errado, mau, de coisas boas. Uma faca é boa na mão da cozinheira, mas na mão do assassino... Até mesmo a droga é boa, na mão do anestesista.
O Altíssimo permite que as criaturas vivam conforme a natureza de cada uma; permite, pois, as falhas respectivas. Toda criatura, então, pelo fato de ser criatura, é limitada, finita e, por isso, sujeita a erros e a falhas, os quais acabam gerando sofrimentos. Assim, o sofrimento é, de certa forma, inerente à criatura. O Papa João Paulo II, em 11/02/84, na Carta Apostólica sobre esse tema disse que: “O sentido do sofrimento é tão profundo quanto o homem mesmo, precisamente porque manifesta, a seu modo, a profundidade própria do homem e ultrapassa esta. O sofrimento parece pertencer à transcendência do homem” (Dor Salvífica, nº 2). “De uma forma ou de outra, o sofrimento parece ser, e de fato é, quase inseparável da existência terrestre do homem” (DS, nº 3).

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Qual o propósito da Bíblia



O fator mais importante – que classifica a Bíblia como o livro mais singular – é a influência que ela tem sobre a vida dos homens. Embora a Sagrada Escritura seja um grande tesouro com respeito à sua contribuição para humanidade em literatura, filosofia e história, o maior valor deste livro se encontra na grande influência que exerce sobre as pessoas. Através de suas páginas o homem se vê exposto à sua verdadeira condição diante de Deus; a Palavra de Deus é como uma espada que penetra até os pensamentos e propósitos do homem e o convence de seus pecados diante do Todo-poderoso (cf. Hb 4:12). "Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração").

Santo Agostinho era um homem indisciplinado e libertino em sua juventude, porém, sua mãe orava por ele enquanto ele crescia. Depois de levar uma vida dissoluta por muitos anos, certo dia, com trinta e um anos de idade, ao ler a Bíblia debaixo de uma figueira, chegou ao trecho que diz "Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes, mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e nada disponhais para a carne, no tocante às suas concupiscências" (Rm 13:13-14). Essas palavras o convenceram dos seus pecados e ele se arrependeu diante do Senhor e se tornou um servo de Cristo.

No curso da história, muitas pessoas famosas foram movidas a crer em Cristo e a ler a Sagrada Escritura. O imperador francês Napoleão, após ter sido derrotado e exilado na ilha de Santa Helena, confessou que embora ele e outros grandes líderes tivessem fundado seus impérios com uso da força, Jesus Cristo edificou Seu Reino com amor. E também confessou que embora pudesse reunir seus homens em torno dele em prol de sua própria causa, ele teria de fazê-lo falando-lhes face a face, enquanto, por dezoito séculos [na época], incontáveis homens e mulheres se dispuseram a sacrificar, com alegria, a própria vida por amor a Jesus Cristo, sem tê-Lo visto sequer uma vez.

A razão pela qual muitos se dispuseram a deixar tudo para seguir a Cristo e ser martirizados por causa d'Ele é que eles O viram revelado na Bíblia. Esse livro sagrado tem sido a fonte de inspiração para que muitos creiam em Nosso Senhor Jesus Cristo. E embora muitos reis, imperadores e governantes tenham tentado, nos últimos dois mil anos, erradicar a Bíblia, a começar pelos imperadores romanos do primeiro século até os governos ateus deste século, nenhum poder sobre a terra tem conseguido abalar a atração do homem por esse livro sagrado e pela Pessoa maravilhosa que ele revela. O Cristo revelado na Bíblia continua hoje tão vivo como há dois mil anos. Nenhuma biografia de homem sobre a terra tem transformado tantas vidas como a vida de Jesus Cristo o faz.

A Bíblia existe para que possamos compreender, temer, respeitar e amar a Deus sobre todas as coisas, assim ela se denomina a si mesma como a Sagrada Escritura: "E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra" (cf. II Tm 3,15-17).

A revelação principal da Bíblia é a vida; o diabo veio para matar, roubar e destruir, mas Jesus Cristo veio para que aqueles que n'Ele cressem, e por Ele vivessem, tenham vida e vida em abundância. "O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (João 10,10). Por isso, quando lemos a Bíblia, devemos entrar em contato com o Senhor Jesus, orando para que Ele nos dê revelação da palavra lida.

"Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos" (Ef 6,17-18). E orando também para que sejamos capacitados pelo Espírito Santo para viver a Palavra de Deus, e não só apenas conhecê-la em nossa mente, pois o simples fato de conhecermos a Bíblia não nos faz cristãos; os judeus cometeram esse erro, pois eles examinavam as Escrituras, mas não conheciam a Pessoa de Cristo. "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida" (Jo 5,39-40). Isso pode ser mais bem compreendido ao analisarmos o versículo de II Coríntios, 3,6: "O qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica".

Não devemos tomar a Bíblia como um livro comum, apenas para nos trazer algum conhecimento a nossa mente, mas devemos tomá-la como um livro de vida, contatando o Senhor Jesus, através da oração, para que Ele nos conceda algo vivo em Sua Palavra, ou seja, algo que traga uma lição prática para o nosso viver no dia a dia, pois a intenção de Deus, revelada na Sagrada Escritura, não é apenas a salvação do nosso espírito, como também a salvação de todo o nosso ser, para que consigamos viver coletivamente na Igreja, que é comparada ao Corpo e à Esposa de Cristo: "O qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade" (I Tm 2,4). "O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" (I Ts 5,23). "Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo" (I Cor 12,27). "Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou" (Ap 19,7).

sábado, 4 de setembro de 2010

A Santa Missa



As duas partes que constituem, de algum modo, a Missa, isto é, a Liturgia da Palavra e a Liturgia Eucarística, estão tão intimamente ligadas entre si, formando um só ato de culto. Ninguém deve aproximar-se da mesa do Pão do Senhor, senão depois de ter estado presente à mesa da Sua Palavra. É da máxima importância, pois, a Sagrada Escritura na celebração da Santa Missa.

A leitura da perícope evangélica é reservada ao ministro ordenado, ou seja, ao diácono ou ao sacerdote. As outras leituras, quando for possível, sejam confiadas a quem tenha recebido o ministério de leitor ou a outros leigos, preparados espiritual e tecnicamente. À primeira leitura segue-se um Salmo responsorial, que faz parte integrante da Liturgia da Palavra.

A homilia tem por fim explicar aos fiéis a Palavra de Deus, proclamada nas leituras, e atualizar a mensagem dela. Compete, portanto, ao sacerdote ou ao diácono fazê-la [homilia].

A proclamação da Oração Eucarística que, por sua natureza, é como que o ponto culminante de toda a celebração, é reservada ao sacerdote, em virtude de sua ordenação. É um abuso, portanto, deixar que algumas partes da referida oração sejam ditas pelo diácono ou por um ministro inferior ou pelos simples fiéis. No entanto, a assembleia não fica passiva e inerte: une-se ao sacerdote na fé e no silêncio e manifesta a sua adesão com as várias intervenções previstas no desenrolar da

Oração Eucarística: as respostas ao diálogo do prefácio, o Sanctus, a aclamação depois da consagração e o Amém final, depois do “Por Cristo”, que também é reservado ao sacerdote. Este Amém final, em particular, deveria ser valorizado com o canto, porque é o Amém mais importante de toda a Missa.

Modificar as Orações Eucarísticas aprovadas pela Igreja ou adotar outras diversas, de composição privada, é abuso gravíssimo.

A comunhão Eucarística é um dom do Senhor, que é dado aos fiéis por intermédio do ministro deputado para isso. Não se admite que os fiéis, por intermédio do ministro deputado para isso. Não se admite que os fiéis tomem eles próprios o Pão Consagrado e o Cálice Sagrado, e muito menos se admite que os fiéis os passem uns aos outros.

O fiel religioso ou leigo, que está devidamente autorizado como ministro extraordinário da Eucaristia, poderá distribuir a Comunhão somente quando faltarem o sacerdote, ou diácono ou o acólito, ou quando o sacerdote estiver impedido por motivo de enfermidade ou por causa da idade avançada, ou quando o número de fiéis que se aproximam da Comunhão for tão grande que faça demorar excessivamente a celebração da Santa Missa.

Recomenda-se aos fiéis que não se descuidem, depois da Comunhão, de uma justa e indispensável ação de graças, quer na própria celebração – com alguns momentos de silêncio e um hino, ou um salmo, ou ainda um outro cântico de louvor – quer terminada a Celebração Eucarística, permanecendo possivelmente em oração durante um conveniente espaço de tempo.

sábado, 21 de agosto de 2010

O mundo vive como se Deus não existisse


Nosso mundo moderno e autossuficiente, infelizmente, já não precisa mais de Deus; vive como se o Todo-poderoso não existisse, e agora sofre. O Papa Bento XVI disse que o homem moderno construiu um mundo que não tem mais lugar para o Senhor.

Os homens criaram milhares de leis e muitos códigos de Direito para serem felizes, mas, infelizmente, não querem obedecer a apenas Dez Mandamentos, dados a nós pelo Criador para nossa felicidade. Se seguíssemos voluntariamente esses Mandamentos Divinos, não seriam necessários tantos códigos de leis e tantos presídios. Mas ninguém pode seguir os Mandamentos de Deus se não amar a Deus.

Não há lei melhor do que a dada a nós por Deus. Ele nos criou por amor e para o amor, "para participar de sua vida bem-aventurada" (Catecismo da Igreja Católica §1), nos deu leis sábias e santas para chegarmos a essa felicidade. Ou será que alguém é melhor do que Deus e pode nos dar leis e preceitos melhores para vivermos? Não. Ninguém é melhor do que Deus Pai; ninguém é mais sábio, doutor e santo do que Ele.
É a religião que dá base moral a todas as outras atividades. Como disse Dostoiwiski – em "Os Demônios" – "Se Deus não existe, então, eu sou deus". E faço o que eu quero, vivo segundo as "minhas" pobres leis. Esta é hoje a grande ameaça à humanidade: o homem ocupa o lugar de Deus. Como disse o saudoso Papa João Paulo II: no século XX os falsos profetas se fizeram ouvir.

"A Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes, e atinge até à divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4,12).
Por isso, ninguém é feliz se não viver as Leis Divinas, e a razão é simples: Ele é nosso Criador e nos conhece como ninguém. Santo Agostinho afirmou: "Quando Deus te fascinar, serás livre".
O Senhor sabe tudo a nosso respeito; toma conta de tudo e nos ama. Por essa razão, nos deu leis e mandamentos sábios; seremos insensatos se não os seguirmos.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Superstição: quanto ela influencia sua vida?


A história da humanidade está repleta de relatos relacionados à superstição. Medo de gato preto, não passar debaixo de escadas, botar a imagem de Santo Antônio de ponta-cabeça no copo d’água, dentre tantas outras, são histórias que permeiam a vida de todos nós. As superstições são tão antigas quanto a humanidade. Estão presentes na história e associadas a rituais pagãos em que as pessoas louvavam a natureza.

Quem nunca ouviu falar de uma delas, não é mesmo? Há séculos convivemos com esses costumes, muitas vezes, sem saber como nasceram. Algumas dessas práticas são tão presentes em nosso cotidiano que as multiplicamos automaticamente em nossas vidas. Há relatos de que a roupa branca utilizada, por muitos, no Réveillon, é influência de tribos africanas que vieram para o Brasil no período da escravidão, cor que traduziria paz e purificação. Bater na madeira é um hábito milenar dos pagãos, por acreditarem que as árvores seriam morada dos deuses batiam na madeira como forma de espantar os maus espíritos que rondavam, chamando o poder das divindades.

O termo "superstição" vem do latim "superstitio", origina-se no que acreditamos a partir do conhecimento popular, trata-se de uma crendice sem base na razão ou conhecimento ou ainda algo muito relacionado ao comportamento supersticioso e mágico, ligado à maior ou menor "sorte" em determinada situação.
Desde a Antiguidade, os povos eram cheios de crenças ligadas a aspectos mágicos, identificando situações que dariam ou não sorte àqueles que seguissem determinadas práticas. Muitas superstições nascem de hábitos do passado que fazem sentido, mas cuja razão se perdeu ao longo do tempo, multiplicando uma situação inexistente, que, muitas vezes, vem de modo fácil e tranquilo. Usar a roupa da sorte, a bebida especial, a planta de tal tipo.

A superstição responde à nossa necessidade de segurança, conforme afirmação de Kloetzel. "Não é simples coincidência que, justamente o campo da saúde e da doença, em que nosso desamparo se torna mais evidente, esteja mais 'minado' por toda sorte de crendices" [...]. "Sabe-se também que é entre os idosos, às voltas com a ideia de morte, que o misticismo e a religião encontram maior número de devotos", revela o autor.
Estamos em pleno ano 2010, mas ainda há muitos fatos assim, sem uma base exata; e a verdade é que até aqueles que são mais descrentes, céticos, muitas vezes, vão atrás da "boa sorte".

A verdade é que por mais que digam que a religião possa carregar características supersticiosas, é um grande erro confundir as coisas, pois a religião não é magia. Ato supersticioso é o fato de alguém carregar um talismã, evitar situações, praticar atos de sorte ou coisas do gênero.
Religião é algo que permanece com o tempo e necessário é crer de forma intensa; já a superstição é algo em que não se acredita 100%, mas se faz esta ou aquela simpatia, carrega-se um objeto da sorte.

O que chamamos de comportamento supersticioso nem sempre é comprovado e, muitas vezes, é lendário, ou seja, de tanto se acreditar que algo dá azar ou sorte, a tradição deu àquele número, objeto ou situação um caráter de favorecimento e crença.
E você? Já parou para pensar naquilo que cultiva e acredita? Será que tem dado mais valor às superstições do que à sua vida de cristão?

Fica uma reflexão para revermos como cada um de nós assume medos, crenças e crendices que tantas vezes mobilizam nossas vidas.

sábado, 14 de agosto de 2010

Festa da Assunção de Nossa Senhora


Grande sinal apareceu no céu: uma mulher que tem o sol por manto, a lua sob os pés, e uma coroa de doze estrelas na cabeça" (cf. Ap 12,1).


Querido Povo de Deus!


Admirável alegria a festa que neste domingo, exatamente o domingo dia 15 de agosto, estamos celebrando: A ASSUNÇÃO DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA, NOSSA MÃE E SENHORA.

Nesta festividade se recorda a presença admirável da Virgem Maria na vida dos fiéis católicos, que em Nossa Senhora veem, ao mesmo tempo, a glória da Santa Igreja e a prefiguração de sua própria glorificação. A festa tem uma íntima dimensão de solidariedade dos fiéis com aquela que é a primeira e a Mãe dos fiéis cristãos. Daí a facilidade com que se aplica a Santíssima Virgem o texto de Apocalipse 12, conforme nos exorta a Primeira Leitura, originariamente uma descrição do povo de Deus, que deu à luz o Salvador e depois refugiou-se no deserto (a Igreja perseguida do primeiro século) até a vitória final do Cristo. Assim o Livro do Apocalipse (cf. Ap 11,19a;12,1-6a.10ab) nos apresenta o sinal da Mulher – Aparece no céu a Mulher que gera o Messias; as doze estrelas indicam quem ela é: o povo das doze tribos, Israel, mas não só o Israel antigo, do qual nasce Jesus; é também o novo Israel, a Igreja, que deve esconder-se da perseguição, no primeiro século depois de Cristo, até que, no fim glorioso, Cristo Ressuscitado possa revelar-se em plenitude. Maria assunta ao Céu sintetiza em si, por assim dizer, todas as qualidades deste povo perenhe de Deus, aguardando a revelação de Sua glória.


O momento da Anunciação de Nossa Senhora, que significa para nós católicos que a Virgem Maria é conduzida por Deus, de corpo e alma, para junto de seu Filho amantíssimo, na glória celeste, é cantado e celebrado com grandes galas pelo povo cristão, sendo para nós um santo mistério, o mistério da Encarnação de Deus.


Esta festa é considerada festa da nova criação. Isso porque, com a vinda do Filho de Deus em carne humana, Jesus se tornou a primeira de todas as criaturas, a cabeça de todos os seres vivos e n'Ele todas as criaturas foram regeneradas. A primeira criação ficou marcada pela desobediência. A segunda criação, por conseguinte, ficou marcada por um forte "sim" obediencial.


A morte nos veio por Eva, e a vida nos veio pela Santíssima Virgem Maria. Sim, a Anunciação celebra o início da nova criação, da nova vida, vida que ultrapassa o tempo da velha criação e jorra para dentro da eternidade de Deus.


O Altíssimo pediu a Maria o seu consentimento para que concebesse o Seu Filho Jesus. Nossa Senhora, assim, com seu FIAT, com o seu SIM, se tornou a Mãe do Doador da Vida, Aquele que é a Vida, e não apenas uma vida temporal, mas a vida eterna, as alegrias sem fim.

E a Virgem Maria deu o seu decidido "sim", tornando-se não só um instrumento passivo de Deus, mas também cooperadora do mistério da salvação. Maria Santíssima, a servidora, que sob seu Filho e com seu Filho, de toda a nova humanidade, é chamada à comunhão eterna com Deus.


Em Maria, o Todo-poderoso tem espaço para operar maravilhas. Em compensação, os que estão cheios de si mesmo não O deixam agir e, por isso, são despedidos de mãos vazias, pelo menos no que diz respeito às coisas d'Ele. O Filho de Maria coloca na sombra os poderosos deste mundo, pois enquanto estes oprimem, ela salva de verdade.

domingo, 8 de agosto de 2010

Ser pai hoje


Quando Deus escolheu José para ser pai adotivo de Jesus, Ele queria que o Menino tivesse uma referência de família aqui na terra. E uma referência excelente, é claro, tal o valor que o Pai Eterno dá à família e à figura do pai. José, da casa de Davi, não foi escolhido somente por isso. Ele tinha todas as qualidades para ser o pai de Jesus Cristo: homem temente a Deus, honesto, trabalhador, digno, carinhoso, extremamente religioso, colocando somente a sua confiança em Deus. Assumiu a situação mesmo antes de compreendê-la realmente, porque tinha por Maria muito amor, respeito e sentimento de proteção.


O pai é importante na família porque seu exemplo, seu carinho, seu modo de ser vai influir grandemente na formação do caráter dos filhos.


Sabemos que há pais descompromissados, que abandonam mãe e filhos, sem contribuir com o seu amor, com o seu bom exemplo, com a sua responsabilidade. Mas estamos falando não apenas do pai biológico, mas daquele pai amoroso, espelho do Pai do Céu, que gera, cria, educa, ama, ensina, está sempre presente na vida do filho.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Padre, o canal da misericórdia de Deus


4 de agosto, dia em que a Igreja celebra São João Maria Vianney, celebramos também o Dia do Padre. O Padre - como está escrito em Hb 5: "Um homem tirado por Deus do meio do povo e colocado a serviço desse mesmo povo nas coisas de Deus!" - é em tudo e em primeiro lugar um homem de Deus, alguém que foi escolhido por Ele para ser o sinal visível da Sua presença no meio do mundo.


Na divulgação da misericórdia o padre tem um papel fundamental, inclusive porque ele é o primeiro ministro da misericórdia de Deus já que administra o sacramento da misericórdia, que é a confissão. No segundo dia da Novena da Misericórdia ditada por Jesus a Santa Faustina, Ele mesmo declarou: "Hoje, traze-me as almas dos sacerdotes […] e mergulha-as na minha insondável misericórdia. Elas me deram força para suportar a amarga paixão. Por elas, como por canais, corre sobre a Humanidade a minha insondável misericórdia!" (Diário 1212).


O sacerdote é aquele que é um canal pelo qual corre, sobre a humanidade, a misericórdia de Deus.
De fato, o padre é aquele que, melhor que ninguém, é utilizado por Jesus Misericordioso para distribuir ao povo de Deus o Sangue e Água que jorraram do Seu Coração, que são os sacramentos da Igreja. Cristo deseja que os sacerdotes anunciem Sua misericórdia: "Desejo que os sacerdotes anunciem essa Minha grande Misericórdia para com as almas pecadoras".

Assim sendo, neste Dia do Padre, reze por nós sacerdotes para que possamos ser estes distribuidores da Misericórdia de Deus para o mundo e para que vivamos com fidelidade nosso chamado.

Promovendo a Doação


Em que pese os problemas do sistema de saúde, o qual ainda se mostra insuficiente para atender as necessidades da população em sua plenitude, desenvolveu-se no Brasil uma notável capacidade técnica para a realização de transplantes. Apesar desse fato e da fantástica evolução da tecnologia médica em favor da vida, o fato real é que o sucesso dos transplantes, como nenhuma terapia, depende da participação da sociedade através da doação de órgãos.

“Qualquer pessoa pode doar órgãos. Nenhuma religião é contra a doação. Pelo contrário, toda religião apóia o amor aos outros, que inclui o ato de doar-se. Para um transplante de órgãos, só importa a compatibilidade entre você e as várias pessoas que esperam um coração, um pulmão, um rim. Uma vida.”

Discuta esse assunto em casa, no trabalho, na escola e descubra como você poderá ajudar a promover a doação de órgãos. Neste site podem ser encontradas informações e materiais para lhe ajudar. E lembre-se: “ser doador não é apenas permitir que partes de nós, em vida ou após a morte, passem a ser partes de outros. É também doar nossas aptidões pessoais e profissionais para tornar possível a vida de muitos, através dos transplantes”.

www.adote.org.br

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Não tema o novo


A vida é marcada por novidades. À medida que vivemos, deparamo-nos cotidianamente com inúmeras descobertas. Em determinados momentos, as novidades vividas são ruins, em outros, são boas, mas, querendo ou não, o “novo” sempre vem e mudanças sempre acontecem. Alguém que vai embora, um emprego que se perde, um amor que vai embora, a vida nos reserva muitas surpresas e, por intermédio delas, podemos sempre crescer.
Existem mudanças que podem ser positivas, outras até mesmo necessárias. Quando rompemos com o medo, assumindo, com humildade, a graça de não sermos sabedores do futuro, podemos ser extremamente formados pelo mistério, que, aos poucos, vai se revelando, desvelando nossa verdade e acrescentando àquilo que somos.
O “novo”, as mudanças, as perdas revelam aquilo que somos, pois, à medida que vamos reagindo diante de cada nova situação, vamos descobrindo novas áreas de nós mesmos, e podemos compreender um pouco mais quem somos nós. Não é pela ação que você conhece uma determinada pessoa, mas por suas reações, pois, as ações podem ser programadas e as reações sempre são naturais.
Cada tempo novo, cada situação nova na vida, é um momento privilegiado para se descobrir no melhor e no pior, nas fraquezas e nas virtudes. Não existe crescimento sem autoconhecimento. Por isso não podemos temer o “novo”, pois quando o vivemos bem, deixando as coisas acontecerem a seu tempo, crescemos significativamente na compreensão do mistério que somos nós.
Não fugir de si mesmo, e de algumas mudanças necessárias, é um caminho de cura e maturidade. Enfrentar-se, com humildade e paciência, diante das próprias limitações, significa preparar o caminho para a virtude.
A felicidade habita no coração que, aos poucos, se torna livre, natural e sem ilusões a respeito de si e da vida.
Não tema o “novo”, as mudanças, enfim, não tema se descobrir. Permita que a vida lhe ensine a se aceitar e amar aquilo que você realmente é, desprendendo-se de ilusões e de idealizações irreais.
Quando começamos a nos compreender, alcançamos a capacidade de transformar “invernos” em belíssimas “primaveras”. Faça essa experiência!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O valor da hospitalidade


É muito importante a hospitalidade. Talvez seja um dos mais significativos gestos fraternos na vida, porque supõe acolhida e valorização das pessoas na sua individualidade. Ela cria relacionamento e convivência, provoca o diálogo e amadurecimento na vida comunitária.
Isso aconteceu na vida de Jesus quando visitou a casa de Marta e Maria, certamente irmãs de Lázaro a quem Ele bem conhecia. As duas irmãs O acolhem com carinho, tendo cada uma delas comportamento próprio. Jesus, como visitante, leva em conta as suas atitudes.
Marta, provavelmente a mais velha, age no cuidado da casa e em preparar o necessário para a boa acolhida e hospitalidade. Isso era o normal na vida das pessoas em suas residências. Era a correria para cumprir as tarefas nos momentos certos da casa. Maria, mais centrada talvez, fica sentada ao lado de Jesus e vai apreciando as Suas palavras. Ela teve uma atitude de escuta e de contemplação do que estava ouvindo do Mestre. Sabemos do valor e do sentido disso na vida.
É bom hospedar e cuidar bem das pessoas. Mas isso tem grande valor quando criamos diálogo, amizade, relacionamento e valorização das palavras. Por essa razão, o Senhor fez questão de valorizar a atitude de Maria e criticou a agitação de Marta.
A hospitalidade leva à comunhão quando valorizamos as nossas palavras. Com isso crescemos no conhecimento e na convivência fraterna, partilhando as alegrias e os sofrimentos, que fazem parte da vida de todas as pessoas.
O caso de Marta e Maria nos leva a retomar as nossas opções. Conclama-nos a viver em equilíbrio e com prazer cada instante da vida. A nossa atuação deve ser centrada no essencial, no mais necessário. O serviço ao próximo não pode ser dissociado da convivência fraterna.
Enfim, a hospitalidade está na dimensão da gratuidade, que é um desafio num mundo como o atual. O que vemos hoje é a predominância do medo, o isolamento, a privacidade, o individualismo, o excesso de trabalho e a falta de tempo. Assim perdemos a oportunidade do amor fraterno.

domingo, 4 de julho de 2010

Queimaduras

A ONG CRIANÇA SEGURA aproveita o mês de julho para fazer um alerta para o risco da queimadura e a importância de prevenir este acidente. Além das festas julinas, também conhecidas pelos riscos dos fogos de artifício e fogueiras, no dia 06 de junho é lembrado o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras.

Somente no ano de 2007, 337 crianças morreram e mais de 15 mil foram hospitalizadas vítimas de queimaduras, segundo o Ministério da Saúde, no Brasil. Este tipo de acidente ocorre na maioria das vezes no ambiente doméstico por meio do contato com líquidos quentes, fogo e outras fontes de calor e também choques elétricos. É o caso da criança atingida pelo líquido quente de uma panela ou da criança exposta à corrente elétrica pelo contato com uma tomada, por exemplo. Alguns fatores contribuem para que a criança torne-se uma vítima mais frágil como a proximidade dos órgãos e a pele mais fina.

As conseqüências causadas pelas queimaduras podem ser muito graves, principalmente no caso das crianças, resultando em seqüelas físicas, emocionais, financeiras e sociais permanentes ou mesmo a morte.

O perigo do álcool: a CRIANÇA SEGURA também aproveita a oportunidade para reforçar a importância da participação da sociedade na Frente Nacional de Combate aos Acidentes com Álcool, uma campanha permanente para conscientizar os brasileiros sobre uma das maiores causas de queimaduras graves: o do uso do álcool em ambiente doméstico para limpeza ou acendimento de churrasqueiras, lareiras e até como substituto do gás de cozinha. Formado pela ONG CRIANÇA SEGURA, Associação Paulista de Medicina, a Associação Médica Brasileira, a PRO-TESTE e a Sociedade Brasileira de Queimadura, o movimento vem unindo esforços para estimular a votação da Lei 692/07 que restringe a venda do produto e está aberto à participação de toda a sociedade que pode manifestar seu apoio assinando o abaixo-assinado. A Frente também desenvolveu a cartilha “Segurança é Coisa Séria”, que traz informações sobre os riscos do produto e como evitá-los.

sábado, 3 de julho de 2010

É fácil seguir Jesus?


A Santa Eucaristia é a celebração do serviço de Nosso Senhor Jesus Cristo pela humanidade.


O início da narrativa do Evangelho do décimo terceiro domingo do Tempo Comum é uma introdução solene da viagem de Jesus a Jerusalém. É o começo de Sua volta ao Pai e Ele apresenta Suas condições para quem quer segui-Lo. Mas não é tão fácil e simples seguir esse Jesus, que pôs o pé na estrada. Dois discípulos precisam ser "exorcizados” quanto ao preconceito racial e à intolerância religiosa. Outros são provocados a abandonar segurança, a rever prioridades e a romper laços familiares para pertencer a uma família que não se constitui a partir dos laços de sangue.


As palavras de Jesus neste Evangelho são dirigidas a todos os cristãos. Ele exige tudo de todos para sermos cristãos. Não podemos nos apegar nem mesmo à nossa alma, que é uma de nossas posses; devemos nos desapegar de tudo e seguir Cristo. Desde que dirijamos nossa vida para Deus, não devemos nos perturbar. É preciso vencer os prazeres carnais e conduzir nossa vida da melhor maneira, abandonando todo o restante para Aquele que tem o poder de fazer tudo o que quiser.


O Senhor nos conhece. Ele sabe que não nos transformamos de uma hora para outra. Mas o nosso objetivo deve ser ir nos aperfeiçoando até chegar ao ideal cristão. Não é fácil, mas é possível. Só depende de nos tornarmos cristãos autênticos. E, justamente porque não é fácil, é que é importante, valioso.


Somos humanos e passíveis de erros e imperfeições, mas também somos divinos, porque fomos criados à imagem e semelhança de um Deus uno e trino, que fez o Cristo se tornar humano entre nós a fim de que aprendêssemos a assumir a divindade em nosso interior.

sábado, 19 de junho de 2010

PREVIDA 2010 - XV SEMANA ESTADUAL DE PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS


XV SEMANA ESTADUAL DE PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS

POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS
A GENTE CONVERSA, A GENTE SE AJUDA

Realiza-se no ano de 2010, entre os dias 21 e 27 de junho, a XV Edição da Semana Estadual de Prevenção Ao Uso Indevido de Drogas – PREVIDA, que é a décima quinta realização consecutiva em comemoração ao dia internacional de combate as drogas, voltada à sensibilização da comunidade deste estado, para a problemática que envolve o uso indevido e abusivo de drogas, sejam elas licitas ou ilícitas.

Com o tema: POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS e slogan: A GENTE CONVERSA, A GENTE SE AJUDA, organizada pela Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania, através da Coordenadoria Estadual Antidrogas – CEAD – e do Conselho Estadual Antidrogas – CONEAD e os órgãos que o integram, tem como objetivos:

Estabelecer um canal de comunicação eficaz e permanente com a sociedade paranaense.
Promover a integração das ações de cidadania.
Construir uma rede de prevenção ao uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas no estado do Paraná.

Este trabalho teve inicio em Curitiba, no ano de 1995 em comemoração ao dia internacional de combate as drogas, 26 de junho. O Conselho Estadual de Entorpecentes – CONEN e a Universidade Federal do Paraná – UFPR uniram esforços e realizaram o primeiro encontro, neste mesmo ano.

Apenas um dia, foi pouco para atender as expectativas, tanto do público participante como dos organizadores e após este encontro, durante o ano de 1995 vários profissionais se reuniram na UFPR, realizando fóruns mensais e debates. No ano seguinte, mais estruturado e com o apoio da ONG recém criada - Fórum Permanente de Prevenção do Estado do Paraná - FOPP/PR, realizaram a "I Semana Estadual De Prevenção Ao Uso Indevido De Drogas", evento que contou com um número expressivo de participantes, estendendo-se pela semana toda, atendendo assim, às necessidades e aos interesses da população

quinta-feira, 17 de junho de 2010

quarta-feira, 16 de junho de 2010

É Deus quem providencia!


Se Deus nos deu a vida, que é o maior dom que recebemos, não vai dar o alimento para sustentá-la? Não vai dar a roupa para nos vestirmos? É claro que sim!

Se o Senhor cuida dos passarinhos, lhes dá alimento, ninho, filhotes, Ele não vai cuidar de nós? Somos muito mais do que passarinhos! E por que eles têm tudo isso? Porque os passarinhos seguem o sistema de Deus!

Confiar unicamente em Deus e na Divina Providência pode nos causar insegurança, pois no sistema do mundo aprendemos a confiar em dinheiro, trabalho, poupança, seguro, plano de saúde.

Por que os lírios do campo têm tudo? Porque eles também seguem o sistema de Deus! Se o Altíssimo cuida das flores, que um dia secarão e morrerão quanto mais de nós, que somos filhos d'Ele. O que precisamos fazer é sair o mais depressa possível do sistema do mundo e mergulhar no sistema de Deus, que é a Providência Divina. É preciso fazer a experiência!

É Deus quem providencia! É o Senhor quem constrói a casa, quem guarda a cidade. Nós estamos aqui somente para colaborar, fazendo a parte que nos cabe. Os passarinhos têm de buscar o alimento todos os dias. A planta também trabalha sugando da terra o alimento de que precisa. Deus nos deu uma lei: “Comerás o teu pão com o suor do teu rosto” (cf. Gn 3,19a).

Por isso, temos de trabalhar! Essa é a parte que nos cabe! Porém, o segredo é entender que o resultado não está no nosso trabalho (e aí está a mentira que o príncipe deste mundo nos ensinou). O resultado está em Deus, que é nosso Pai. Nós fazemos nossa pequena parte; quem constrói quem guarda e conduz é o Senhor.

domingo, 13 de junho de 2010

Recordes da Natureza


A maior cordilheira
Cordilheira dos Andes - América do Sul - 8 mil quilometros.

A maior ilha
Groenlândia - 2.175.600 Km2.

A montanha mais alta
Mauna Kea - Havaí - 10.203 metros a partir do fundo do Oceano Pacífico. Se for considerado apenas o pedaço que fica acima do nivel do mar, a montanha tem 4.205 metros.

A principal queda de água
Angel - Venezuela - 979 metros de altura.

O lago mais alto
Titiaca - Peru - 3.811 metros acima do nivel do mar.

O lago mais fundo
Baikal - Rússia - 1.620 metros.

O maior golfo
Golfo do México - 1.502.200 Km2.

O maior lago
Mar Cáspio - entre Rússia e Irã - 372.000 Km2 - 980 metros de profundidade.

O maior rio em extensão
Amazonas - Brasil - 7.025 quilometros.

O maior vulcão
Gallatri - Chile - 6.060 metros.

Oceano mais profundo
Pacífico - profundidade média de 4.267 metros.

Ponto mais alto
Monte Everest - Himalaia - fronteira entre Nepal e Tibete - 8.850 metros acima do nivel do mar.

Ponto mais baixo
Mar Morto - entre Israel e Jordânia - A superficie da água está a 396 metros abaixo do nivel do mar.

Ponto mais chuvoso
Monte Waialeale - Havaí - média anual de 11.680m.

Ponto mais frio.
Estação de Vostok - Antártida - 89,2° negativos.

Ponto mais quente
El Aziza - Líbia - 58° positivo.

Ponto mais seco
Deserto de Atacama - Chile - Sem chuva do ano de 400 a 1971.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Celebração Eucarística pedindo Paz no Trânsito



Hoje às 20h na paróquia São Francisco de Assis no Jardim Alvorada em Maringá PR. E logo em seguida o padre Luiz Carlos dará a benção nos veículos. Venha você e traga a sua família para participar conosco.

segunda-feira, 31 de maio de 2010




Corpus Christi é uma festa ao Corpo de Cristo. É uma data adotada na Igreja Católica, para comemorar a presença real de Jesus Cristo no sacramento da Eucaristia, pela mudança da substância do pão e do vinho na de seu corpo e de seu sangue (O Catolicismo declara que a hóstia, torna-se literalmente em Carne e Sangue do Senhor Jesus).





A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse:‘Este é o meu corpo...isto é o meu sangue... fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo depois de Pentecostes.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

REENCONTRO DE JOVENS CURSILHISTAS


SERÁ NO DIA 29 DE MAIO DE 2010 ÀS 14H NO SALÃO DE FESTAS DA PARÓQUIA SANTO ANTONIO. TEMA: "JOVENS, SOIS O ROSTO JOVEM DA IGREJA"

CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS

terça-feira, 18 de maio de 2010

18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil

Faça sua parte, combata você também este problema.


Denuncie Disque 100;
Acredite sempre na palavra da crianças;
Quem cala consente;
Omitir-se pode significar cumplicidade;
Não seja cúmplice de um crime;
Denuncie e salve vidas;
Combater impunidade é garantir proteção;
Esquecer é permitir, lembrar é combater.



Importante: O dia 18 de maio foi instituído pela Lei Federal 9.970/2000 como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em razão do crime que comoveu a nação, conhecido como o "Crime Araceli", em que uma menina de apenas oito anos foi cruelmente assassinada após ter sofrido violência sexual em Vitória (ES).

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A Importância de Dormir Bem.


Nada como uma ótima noite de sono para acordar novo e com mais disposição para enfrentar o dia. Muitas pessoas tem curiosidade em saber quanto tempo e como devem dormir. Pena que a rotina atarefada nem sempre permita um sono tranquilo. Se você é o tipo de pessoa que deixa de dormir para estudar ou trabalhar ou deixa que as aflições do dia-a-dia atrapalhem o seu sono, trate de relaxar.

Dormir bem é fundamental não somente para melhorar a execução das tarefas diárias. O descanso é de suma importância para a sua saúde e o seu conforto. "O sono é uma necessidade de recuperação essencial ligada a todos os órgãos do corpo. Funções essenciais como conservação de energia, metabolismo anabólico, amadurecimento do sistema nervoso central, consolidação da memória e secreção hormonal são desempenhadas", explica a neurologista Andréa Bacelar, da Clinica Neurológica Dr. Carlos Bacelar, no Rio de Janeiro.

Partes do Sono

Segundo a neurologista, o sono é dividido em partes que geram ciclos. "As partes de sonolência e de sono leve fazen parte do sono superficial, que são os I e II estágios. Quando o sono se intensifica, a atividade elétrica cerebral fica mais lenta. Esse é o estágio III ou sono de ondas lentas, que representa o instante do descanso cerebral e da reorganização da memória", enumera Andréa Bacelar.

O climax dos processos acontece no sono REM (Rapid Eye Moviment). É a fase em que sonhamos, em que ocorre o relaxamento completo da musculatura do corpo. "O REM equivale a cerca de 25% do nosso sono. Durante esse tempo, o corpo efetua a renovação de toda a musculatura. O conteúdo aprendido durante o dia é processado e armazenado na nossa memória", explica a neurologista.

O neurologista Paulo Luciano Gomes, do Hospital Universitário Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, diz que todos os estágios são fundamentais para uma ótima noite de sono. "Qualquer parte do sono é importante, porque a atividade encefálica precisa desses diferentes ritmos".

Quanto deve dormir?

A quantidade de sono ideal depende de cada pessoa. Na maioria dos casos, a população adulta precisa dormir de 6 a 8 horas por noite. "Eventualmente, uma pessoa saudável pode dormir menos que isso sem prejudicar a saúde. Só não deve se tornar rotina", diz o neurologista.

Mesmo se dormir mal por uma noite não afete sua saúde, essa carência de sono será notafa no dia seguinte: "Uma noite mal dormida interfere em todas as tarefas do dia-a-dia, desde o humor da pessoa até a sua produtividade no trabalho. Irritação, cansaço, sonolência e instabilidade emocional para enfrentar uma rotina estressante são alguns problemas enfrentados por quem dorme pouco", alerta Paulo Luciano.

Nada de acumular sono para depois. A neurologista Andréa Bacelar recomenda a manutenção de um sono regular. "É fundamental entre a hora que se deita e se levanta. Quando dormimos menos em determinada noite, o que se deve fazer é antecipar um pouco a hora de ir para cama na noite seguinte. Se para tentar compensar a pessoa acordar muito mais tarde do que seu horário habitual ou então tirar um cochilo após o almoço, naturalmente ela terá maior dificuldade para dormir na noite seguinte, perpetuando o problema".

Um dos agravantes que mais atrapalham o sono e tornam difícil ter uma noite tranquila é a rotina agitada que muitas pessoas têm. Grande parte da população não consegue se destrair dos problemas e acaba prejudicando seu sono. "A privação de sono, normalmente causada por preocupações, pode se tornar crônica, trazendo consequências irreversíveis para a saúde das pessoas", alerta Andréa Bacelar, que dá dicas que vão ajudar a dormir melhor:

- Mantenha o quarto sempre com tempeatura estável e agradável. Deixee o cômodo arejado durante o dia e escuro à noite;
- Estabeleça horários de dormir e acordar, respeitando seu ritmo biológio;
- Evite álcool ou bebidas com cafeína à noite;
- Evite o uso regular de tranquilizntes para dormir;
- Faça refeições leves à noite;
- Evite fazer exercícios físicos perto da hora de dormir;
- Evite atividades estimulante à noite.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Precauções sobre o uso de celulares

Um dos principais centros de pesquisa sobre o câncer dos Estados Unidos emitiu um alerta sobre os riscos do uso de telefones móveis, devido às radiações magnéticas emitidas por esses aparelhos. Alguns estudos afirmam que telefones celulares emitem radiações eletromagnéticas que podem penetrar o cérebro humano e isso poderia causar sérios danos à saúde, um deles seria o aparecimento de tumores no cérebro.

Apesar de não haver uma pesquisa conclusiva que constata a relação entre o uso de celulares e o risco de tumores, os usuários devem começar a tomar certos cuidados. Alguns fabricantes de telefones celulares e sem fio declaram que os aparelhos emitem radiação eletromagnética.

Não devemos esperar que haja um estudo definitivo sobre esse assunto, mas é melhor estar agora errado por ser cauteloso, que lamentar mais adiante.

Algumas precauções sobre o uso dos telefones celulares:

• Permita o uso de celulares por crianças apenas em casos de emergência;

• Tente manter o aparelho longe do corpo enquanto guardado e use o viva-voz sempre que possível.

• É aconselhável que as pessoas usem o celular apenas para conversas rápidas, já que os efeitos biológicos estariam diretamente relacionados ao tempo de exposição.

Outro estudo realizado na Grã-Bretanha sugere que o uso dos celulares por crianças deve ser limitado e, além disso, a pesquisa aconselha que menores de oito anos de idade não usem esses aparelhos. É provável que os campos eletromagnéticos penetrem mais profundamente o cérebro das crianças que o dos adultos.

Em Israel, uma pesquisa feita com 500 israelenses aponta que o uso dos celulares pode estar vinculado ao aumento no risco de desenvolver câncer nas glândulas salivares.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Paróquia São Francisco de Assis na Internet



Acessem aí amigos e amigas a paróquia São Francisco de Assis na internet: www.psaofranciscodeassis.com.br e a nossa rádio também www.psaofranciscodeassis.com.br/radio

Deus seja louvado!

terça-feira, 23 de março de 2010

No ar a Rádio São Francisco FM

Agora sim irmãos e irmãs, povo de Deus! Está no ar a rádio São Francisco FM na Internet. Acessem e acompanham os vários programas que temos. Destaque para o programa Deus é Capaz apresentado por mim Pe. Luiz Carlos Targino que vai ao ar de segunda a sexta-feira das 11h até às 12h. Sejam bem vindos!
www.psaofranciscodeassis.com.br

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Rito de Iniciação à vida Cristã

Um dos projetos aprovados na Assembléia
arquidiocesana foi o fortalecimento dos grupos de reflexão. Assim sendo, ficou
decidido na nossa Arquidiocese, lançar um projeto de
formação para os coordenadores de grupos de
reflexão, propondo que o conteúdo a ser estudado,
refletido nos encontros dos grupos seja uma
catequese para adultos, ou seja, a iniciação à vida
cristã. De um modo especial, este projeto é uma
resposta ao apelo do Documento de Aparecida.
Diante do esfriamento na fé de muitos cristãos e da
mudança de época, que leva ao individualismo e
relativismo, muitas pessoas, acredita-se que a
solução é retomar o catecumenato do inicio do
cristianismo. Onde aqueles que desejavam ser
cristãos passavam por uma longa e profunda
formação que levava a um encontro pessoal com
Jesus e este encontro, transformava profundamente
a vida dessas pessoas levando a um compromisso
sério com a comunidade cristã e na transformação da
sociedade.
Na Paróquia São Francisco de Assis, vai acontecer
entre os dias 8 (segunda feira) e 12 de março (sexta
feira) vai acontecer o RICA – Ritual de Iniciação Cristã.
Essa semana é uma semana de formação para os
coordenadores de grupos de reflexão, porque a partir
de agora todos os grupos de reflexão vão usar como
conteúdo a chamada: INICIAÇÃO CRISTÃ. Essa
iniciação cristã é baseada no antigo catecumenato. O
RICA: Ritual de Iniciação Cristã de Adultos, baseado
no antigo catecumenato também. Mas a proposta da
CNBB é que começando agora e sem data para
terminar, todas as comunidades do nosso Continente
assuma a Iniciação Cristã, ou o Catecumenato como
forma ordinária de transmitir a fé ou educar na fé. E,
diante disso, todos deverão se envolver. Catequese,
liturgia, grupos, pastorais e movimentos. Mas estamos
começando pelos grupos de reflexão. Todas as
paróquias vão receber essa formação até março,
porque após a Páscoa, os grupos de reflexão
começam essa Inciação cristã, ou catecumenato que
é o RICA, também nos grupos de reflexão.
Rito de Iniciação à vida Cristã


Pe. Jair Presinate / Formador do RICA

São Francisco FM 105,9 agora na Internet

Apesar de ter quase noventa anos, no Brasil a
Aprimeira transmissão de uma emissora de rádio aconteceu em 1922 no Rio de Janeiro
em emissora que existe até hoje (Rádio MEC), o
rádio pelas suas particularidades e caracteristicas
seja talvez o mais importante meio de comunicação
moderno em todo o mundo e um de seus grandes
benefícios é a proximidade com o ouvinte, o que não
exige a sua total atenção para compreender a
mensagem. Você pode estar na academia, dirigindo,
no estádio e até mesmo debaixo do chuveiro que a
sua mensagem é absorvida com maior facilidade do
que as imagens.
Com a chegada da Internet essa importância
aumenta, pois já não se transmite pensando apenas
em comprimento de ondas e potência dos
transmissores, mas a rede mundial de
computadores, faz com que ela vá mundo afora,
numa prova de adaptação à modernidade dos
nossos tempos, quando o rádio ja chegou a ser
declaro "morto" com o advento da TV na década de
70/80.
Ao longo da história o rádio apresenta-se como o
meio de comunicação que mais facilmente se
adaptou aos novos cenários tecnológicos,
absorvendo-os a fim de renovar a tecnologia de
comunicação radiofônica desde o tempo da
transmissão através de ondas curtas, da
transmissão via satélite, rede e nos dias atuais, a
web rádio.
Os novos meios de comunicar ajudam e aproximam ainda mais a relação dos clientes e ouvintes com a rádio, devido
ao seu caráter imediatista e redundante, firmando a diferença entre o meio impresso, onde não há a possibilidade de
rever as informações já transmitidas. A rádio São Francisco FM 105,9 é uma emissora comunitária criada a fim de
promover lazer, cultura e hábitos sociais, dando à comunidade a oportunidade de integração e contribuindo para o
aperfeiçoamento profissional, portanto é uma prestadora de serviços de utilidade pública
Com atividades executadas por diversos membros voluntários da comunidade, todos trabalham juntos para levar até
você e sua família uma programação autêntica de informação, lazer, cultura e espiritualidade, além de boa música e
um conteúdo voltado para a família.
A emissora tem como objetivo o respeito pela vida e os direitos humanos, priorizando valores éticos e sociais da
pessoa e da família, e é por isso que temos em nossa programação o espaço para a divulgação de planos e
realizações de entidades ligadas por suas finalidades, ao desenvolvimento da comunidade.
Diante deste interesse e devido ao seu crescimento é que o site da Paróquia São Francisco de Assis dará o pontapé
inicial para que todos no Jardim Alvorada, no Brasil e no mundo possam ficar ligadinhos na São Francisco FM 105,9.
Bem vindos à era digital. Acesse os portais da Paróquia São Francisco de Assis, aproveitem o conteúdo e divirtamse!
A nova era da comunicação no rádio e a São Francisco FM
www.psaofranciscodeassis.com.br
www.psaofranciscodeassis.com.br\rádio

Pe Luiz Carlos Francisco Targino
Vigário Paroquial